quinta-feira, dezembro 18, 2008

Vómito criativo

Há surpresas que aparecem da forma mais adequada que se possa imaginar... Quando um dia tudo parece desabar à nossa volta, quando o que parece é que toda a Terra treme, qual 1755... o curso das coisas muda tão repentinamente quanto a pele de camaleão... E camaleão propositadamente... Camaleão de capacidade de adaptação, de reacção, de rapidez na mudança...
Depois de litros vertidos, um coro de Gospel cantava, ao fim de mais de meia hora de energia pura e genuína, Oh happy Day, Oh happy day... Mais do que ironia, poderia ser encarado como uma espécie de sinal... de que nenhuma tristeza vale a pena, a não ser a que faz parte do passado... Vibrações de pura felicidade entram peito adentro, o corpo mexe-se ao sabor do ritmo, as mãos que começam a bater uma na outra... harmonia de som, cor, movimento...
Depois as palavras... As que sabemos e não sabemos... As que nos dizem tudo e não dizem nada... As fáceis e as difíceis... Dissecar palavras... Sim, foi isso! Dissecaram-se palavras. Elas por elas próprias, pelo seu sentido, contexto, cor, forma, significado... Despidos de condicionalismos e convenções, foram vomitando conjuntos de letras. Do não sentido ou do sentido limitado, tudo se torna lato, abrangente... Revigorante...
Terminou-se com "Hoje, das 7h30 às 10h, fechei-me do mundo e deixei-me voar dentro de mim... Hoje das 7h30 às 10h, vi sorrisos em olhares desconhecidos, vi pureza em expressões gastas e batidas, vi leveza em espíritos ávidos..."
Se bem me lembro, foi a primeira vez que escrevi algo puramente ficcional... Que levada de um ponto, passei por vários outros, de descontextualização, desconstrução, desformatação... Até chegar a algo tão simples e natural como pegar numa folha em branco, um lápis de carvão e simplesmente deixar a mão dançar... dançar ao sabor do peito, deixando a cabeça fechada... simplesmente deixar fluir as palavras que se formam na ponta do carvão... sem preconceito ou pré-conceito, sem julgamento, sem forma definida ou pré-definida... simplesmente deixei que a minha mão, já cansada de 2h30 de puro vómito criativo, dançasse um pouco mais numa folha branca e construísse aquilo que é a minha primeira criação puramente ficcional; não inspirada por emoções, sentimentos, condições ou condicionantes, vivências, experiências e sei lá mais o quê, que me empurra a escrever de quando em vez... Um dia destes partilho ;) E voltarei! Seguramente voltarei!!!

Etiquetas:

5 Comentários:

Às dezembro 19, 2008 8:05 da tarde , Blogger carlos disse...

Cá estarei.
Xicoração.

 
Às dezembro 31, 2008 6:32 da tarde , Blogger Pedro Almeida disse...

Feliz 2009 regurgitações criativas!

 
Às janeiro 10, 2009 1:09 da manhã , Blogger Ele há horas assim... disse...

Ò mulheri...tanto tempo sem dar sinal de vida e agora tu a dares o sumiço...!!!

Volta miúda. Estás perdoada e eu estou de regesso às lides...:)

Vamos dar gás a isto de novo! 'Bora???

Beijokas enormes!!!!!!!!! ;)

 
Às janeiro 13, 2009 4:40 da tarde , Blogger Inês disse...

Então, o vómito criativo foi assim tão profundo que não sobrou nada para regurgitares aqui?

 
Às janeiro 15, 2009 10:26 da manhã , Blogger Arthur disse...

estou ansioso pelo dia da partilha ;))

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial