sábado, outubro 04, 2008

Amanhecer...

Acordou por si. Depois de 8h de um sono solto e reparador, nada mais a havia trazido à consciência senão o bastar. As crianças do andar de baixo não haviam feito barulho; o vizinho de cima não tinha lavado a varanda nem arrastado móveis... Nada! O sol brilhava e a sua luz entrava pelas pequenas frestas do estore, deixando antever aquele belo dia de Outono.
Levantou-se com um sorriso no olhar e cheia de energia para os projectos do dia. Ainda pensou que eram coisas que não gostava de fazer e que se pudesse bem que as passaria a outrém. Mas não perdeu com este pensamento mais que um momento. Ultimamente, sem saber explicar porquê, gostava de encher de água o seu jarro verde e regar alegremente as plantas. Eram a prova de que projectos sensatos, com o devido empenho, só poderiam chegar a bom porto... Estavam bonitas e sentia-se orgulhosa. Sentiu vontade de se sentar frente às colunas de onde saíam tons melosos e desenhar numa folha em branco, este sorriso que extravazava o seu corpo.
Ía ao sabor da maré, e se por vezes a corrente era forte e a deixava com medos e tonturas, outras, era aquele embalar doce e suave que lhe arrancava sorrisos genuínos e gargalhadas infantis...

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial