domingo, julho 08, 2007

O Mundo ao contrario???

A noite estava agradável. Sentia-se bem: descansada, descontraída... estava a fazer as pazes com os azares dos últimos tempos... chamemos-lhe destino, sina, whatever... não que acredite muito nisso, mas... O céu estava estrelado e, não fosse a caminho de um concerto de Xutos e, no carro ouvir-se-ia concerteza algo mais soft, mais calmo, mais zen... Mas não! Dava Xutos em altos berros, e a alegria e euforia transpiravam carro afora contagiando a bela paisagem que lhe guiava o caminho. Quase no destino toca o telemóvel e do outro lado: "Olá, vi a tua mensagem. Então vais à minha terrinha, hoje???", conversa puxa conversa e dá-se uma daquelas coincidências que não existem. Afinal o telemóvel não se justificava e os dois amigos encostaram o carro e deram dois dedos de conversa. Combinadas as coisas, havia que estacionar no meio do caos. Pior: afinal o concerto não era às 23h30, mas sim às 22h30. Olhou para o relógio e panicou... Faltavam 10 minutos e estava ainda longe do recinto; não era possível estacionar e o trânsito não andava nem para a frente nem para trás... Golpe de sorte: "Olha, o meu carro até cabia aqui... Mas é estranho ninguém estacionar. Será que é daqueles locais em que ninguém se atreve, vá-se-lá-saber-por-que-raio??? Que se lixe!!! Perdido por cem, perdido por mil... Não é bonito, mas a noite é de festa e o que não falta por aí é carros estacionados onde não se deve...".
Sai do carro e começa a andar em direcção ao recinto do concerto... Mais uma coincidência, ou golpe de sorte: 3 passos à frente... voltou a encontrar o amigo residente que lhe deu boleia até ao recinto, poupando-lhe as pernas e vários minutos a pé (sim, que entretanto o trânsito já fluia, vá-se lá saber por que milagre...). Verdadeiro privilégio, convehamos... Entregue à porta do recinto sem andar mais que 100m a pé... Não é pa qualquer um. Passado o stress de encontrar os restantes amigos entre a multidão: "Foste rápida!!!", "Epá, tive uma sorte imensa... Veio trazer-me aqui à porta. Coitado... Foi um querido. Agora vai passar imenso tempo pa voltar pa casa, porque o trânsito naquele sentido não está bonito...".
Estamos a entrar no recinto e o concerto a começar... Mais um golpe de sorte??? A 1ª meia hora foi morninha, com músicas não muito conhecidas, mas depois é que começou a emoção a sério... É isto que é bonito de se ver num concerto de Xutos: toda a gente conhece as músicas, toda a gente sabe as letras, toda a gente faz UUUUUHUUUUUUU quando ouve os primeiros acordes... E apesar de não ser um mega-concerto, o ambiente é fantástico!!! A voz do vocalista é abafada em pontos-chave das diversas canções pelo entusiasmo da multidão... Kalu, lá do fundo começa baixinho "Jump! Jump! Jump!..." e em 2 segundos a multidão anda acima e abaixo... Gostos à parte, cada música tem um som especial, ajudado pelo calor do público (já ouvi dizer, a várias pessoas, que não há público como o português quando está a curtir um concerto). E ("esta música dá-me azar") começa "O Mundo ao contrário", e a malta até sabe a letra, e está a cantar animadamente, e bate palmas, e grita, e salta, e tudo e tudo e tudo e tudo e de repente assim por trás da orelha uma amiga pergunta: "Ouve lá, tens o mundo ao contrário???"

Irra!!! Podias ter sido menos bruta, tá??? As amigas costumam ser mais meiguinhas nestas coisas... Escusavas de me dar assim uma martelada dessas... Sim, que isso foi uma verdadeira martelada na cabeça... Assim derrepentemente, nã tinha pensado nisso, mas essa porra dessa pergunta tem o seu quê...

"Epá, tu és incrível!!! Não perdes uma... Lá tás tu a inventar filmes onde eles não existem... Irra!!! Deixa-te disso melhéri... Não vem que não tem, tá?!?!?!"

Mas "tens o mundo ao contrário???" ficou-lhe a martelar na cabeça... Seria??? Teria??? Que estranho!!! A gaija conhece-a tão bem que... Epá, sei lá... Porra!!! Bem que a outra podia ter ficado calada... Agora ficou-se-lhe esta ideia a martelar a cabecinha...

Valeu-lhe que o concerto estava perto do auge, e a emoção do momento abafou-lhe as ideias peregrinas da amiga... Os velhos clássicos levam a multidão ao rubro e 3 encores depois, o concerto acaba. O resto da noite, escusado será dizer, foi gira, mas também estranha... De repente, olhava para as coisas de maneira diferente...
"Porra!!! Não sabias estar calda?!?!?!"
";) hehehe"
"Isto de andares por aí a induzir pensamentos não pode ser... Sim, que deixaste-me a pensar, mas o filme é teu... Não inventes o que não existe. Se há algo ao contrário, não sou eu nem o meu mundo..."
"sim, sim... Se eu não te conhecesse tão bem... Olha ali tão giro, vamos beber um copo, malta??? Bora!!!"

End of conversation...

3 Comentários:

Às julho 16, 2007 7:42 da tarde , Blogger Ele há horas assim... disse...

Pois...mas agora deixaste-me curioso...

Afinal está ou não está? Ao contrário?

:P

Beijinho

 
Às julho 17, 2007 11:03 da tarde , Blogger Catarina em Lx disse...

ele há horas assim,
Não sabe que a curiosidade matou o gato???

Como é que te posso responder, se nem eu sei?!?!?!

;)

 
Às julho 18, 2007 11:59 da tarde , Blogger Ele há horas assim... disse...

Isso está bonito, está...!

E isso da curiosidade matar o gato...só se fôr o Baco...esse ao menos deve recber ameaças de morte dia sim, dia não...

hehe

:-)

Beijinho

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial