quinta-feira, maio 24, 2007

Há dias assim... #26

Uma palavra...
Um momento...
Uma surpresa...
E toda a segurança se desvanece e vai por água abaixo e deixa as pernas a tremer e põe em causa a certeza inabalável...
Uma palavra... Mais que uma soma de letras... Oh!!! Muito mais!!! Uma palavra... um conceito, uma ideia, uma mensagem...
E outra palavra... e outra... e outra surpresa e o inesperado e a emoção e a incerteza e um sorriso...
Aaaahhh!!! E o olhar!!! O olhar, essa eterna punhalada nas costas que sem aviso, ataca... sem dó nem piedade, sem contemplações...
Há dias em que um simples olhar deita por terra toda e qualquer postura...
Há dias em que as palavras ganham outro ritmo, outro som, outro cheiro...
Uma palavra que surge do vácuo, de onde nada se esperava... pelo menos não assim. Pelo menos não agora. Pelo menos não com esse olhar... Pelo menos não com essa postura desconcertante, desconcertada, inofensiva, ameaçadora da integridade das emoções mais inocentes... de um inocente...
Há dias em que o gesto tem outro calor, tem outro olhar na sensibilidade do toque suave, quase inexistente...
Há dias em que o toque não o chega a ser... mas a distância é tão parca que se sente a presença. Sente-se o calor. Sente-se o desejo, a vontade...
Há dias em que o quase que é preenche bem mais do que o que poderia ser...
E não há toque. A distância das peles é mínima. O ar não passa... Entre elas, apenas se consegue identificar o desejo... um desejo discreto, suave, lânguido, quente...
Há dias em que as mãos ganham vida...
Há dias em que os dedos passeiam discreta e suavemente pela pele alheia...
Há dias em que a serenidade arrebata a pele, o toque, o desejo...
Há dias em que uma palavra, um olhar, um toque... perdão, um quase toque, que não chega a ser, não chega a parecer, não chega a mostrar-se...
Há dias em que basta ser, basta estar, basta..., e as palavras fluem nos olhares, o toque arrepia um suspiro e o medo toma conta da energia corporal...
Há dias em que o tempo para e tudo continua à nossa volta e algo permanece... suspenso no ar... um cheiro...
Há dias em que os sentidos despertam com sensibilidade mais apurada e gerem emoções de forma muito mais intensa...
Há dias em que as palavras fluem sem sentido mas com conteúdo até mais não.... e saiem e saiem e saiem e saiem...
E fluem, e fluem e fluem e fluem
Há dias em que não têm sentido mas tudo dizem e nada duvidam e acariciam a pele...
O toque duma palavra, o cheiro de um olhar...
Há dias assim...

Etiquetas:

2 Comentários:

Às maio 25, 2007 9:16 da manhã , Blogger Ele há horas assim... disse...

Love is in the air...
:P
Deve ser de nos estarmos a aproximar do fds...
LOL
Bjos

 
Às maio 26, 2007 1:54 da tarde , Blogger Catarina em Lx disse...

ele há horas assim,
Antes andasse, meu caro... antes andasse... O fds já começou animado e cansativo e assim se prevê que continue... :)

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial