sábado, abril 28, 2007

D de Decisão...

Foto roubada d'aqui

Sangue... Vermelho sangue... Ou Vermelho Imperial... Ou Vermelho chinês... Ou simplesmente Vermelho escuro.
Mas vermelho. Ou Encarnado? Encarnado Imperial não constava do catálogo. E Encarnado chinês também não...

Também trouxe a base. Um vermelho forte sem brilho, que serve para isso mesmo... é uma base, para se aplicar depois, por cima, o vermelho final... Aquele que se pretende faça companhia a tudo o resto que habita a sala.

É aquela parede recolhida, ao lado da televisão... Faz 45º com a parede da lareira que será, um dia destes, algo como cinza ou hematite, se conseguir encontrar... Mas só a chaminé. O resto da parede fica branco...

É aquela parede, onde actualmente jaz o velho coiso a que chamo de sofá e que tem uma capa cru por cima... cru com apontamentos de pêlo de gato, convenhamos... Um dia destes terá outro sofá. Pretendia-se branco. Mas com um Baco e uma Muqueca de roda, não creio que seja a melhor opção... Ainda não me apeteceu decidir.

Aliás, decidir é difícil... Decidir implica que não se volta atrás... Decidir implica que nunca se saberá realmente cmo seria, se fosse tomado o outro caminho. Decidir é do caraças... Mais ainda quando há timmings envolvidos: Tens até dia tal para decidir o que pretendes fazer... Ou Até tal data, a decisão será tomada e posteriormente comunicada... Decidir não é fácil, é ponto assente.

Mas, e quando, em determinadas altura, por sabe-se lá que conjugação de factores, sabe-se lá vindo de que circunstâncias, sabe-se lá por que raio... Dizia eu: mas e quando as circunstâncias nos impõe tomadas de decisão concomitantes??? Uma série delas. Importantes! Sérias! Difíceis! Definitivas... Claro, decisões definitivas... Isso é quase um pleonasmo...

Mas, quando é altura de decidir, e quando as várias decisões encadeiam umas nas outras...

O sono escasseia, o estômago começa a fraquejar. Os vómitos provocam dor de cabeça, e o stress acumulado é uma bomba prestes a explodir. Depois da barrinha de cereais inofensiva fiquei tão mal-disposta que tive de correr para o wc. Vomitei e desatei num pranto. Do mal o menos... Pelo menos alivia-se alguma tensão. Ora, como o estômago está fraco e a cabeça a ameaçar... nada melhor que um jantarinho no indiano. Devidamente condimentado. Daqueles que deixa as beiças inchadas. Seguido de uma peregrinação pelos vários barzinhos com ambiente pesado, muito fumo de tabaco (e não só) e música em altíssimos berros... A ressaca sem álcool consegue ser pior que a ressaca normal... aquela que nos faz questionar "Mas porque é que bebi tanto? Não havia necessidade!" A ressaca de Mango Lassi e de água natural, seguida dum Red Bull é do caraças!!! Garanto!

O tempo das decisões aproxima-se. É certo que uma página será virada. É certo que vai ser diferente. É certo que vai implicar mudanças no dia-a-dia. É certo que me está a obrigar a olhar a vidinha de outra forma. Mas de que forma? Em que circunstâncias? Com que segurança? Ou falta dela? Sozinha? Acompanhada? Serenamente ou em rebuliço?

É a escolha certa? É uma decisão devidamente ponderada? Consideraram-se os prós e os contras? Como seria se se decidisse de outra forma?

Gosto de ouvir opiniões.

No fundo, acho que as minhas decisões são tomadas nos primeiros 2 minutos da questão e nos últimos 10 segundos... Mas, pelo meio, a agonia do como, do quando, do e se???... A arte da retórica comigo mesma ganha contornos de filme de suspense... ou de terror?

Aproxima-se o dia D!
D de Decisão...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial