sábado, setembro 22, 2007

A saga continua...

Para praticamente tudo na vida, há pelo menos 2 versões dos factos. E como não poderia deixar de ser, relativamente ao assunto do post anterior, esta é a versão de John Kerry. Quanto a mim, o mais importante é que todos tenhamos acesso às várias versões dos factos, caso as imagens (factos) não sejam suficientes. A cada um a sua opinião e nada é definitivo ou 100% certo, pelo que mesmo depois de imensos esclarecimentos, permanecerão concerteza dúvidas e críticas...
Cá por mim, mantenho o que disse: mesmo que este Meyer seja um arrogante mal educado, sem respeito pelos seus colegas (como parece ter acontecido na versão do site de John Kerry), será que não tem direito de colocar as suas questões (mesmo que parvas e desinteressantes)??? Será que com 4 polícias (no mínimo) a tentar algemá-lo, seria mesmo necessário descarregar uma bela dose de choques eléctricos no rapaz? E ainda repetir?

A verdade nem sempre é clara e inequívoca e o tal do benefício da dúvida deve sempre regrar as nossas intervenções. Mas chamo a atenção para 2 ou 3 coisinhas...
- Quando Andrew Meyer estava ainda na posse do microfone, ouve-se um tímido aplauso, sinal de que o que estava a dizer não seria assim tão bárbaro quanto isso...
- Quando a polícia começa contra a sua vontade a afastá-lo, há um aplauso... Pergunto-me: é de apoio a Andrew Meyer? Ou será um "Finalmente!!! Tirem este palhaço daqui..."????????
- Daquilo que o ouvi dizer, e apesar de a qualidade do som não ser a melhor, não ouvi assim nenhuma barbaridade do outro mundo... Será a inconveniência o suficiente para uma cena destas?
- Quando a polícia está a levar Andrew Meyer, ouve-se um comentário (acho que de John Kerry), embora não consiga perceber o que ele diz, seguido de uma tímida gargalhada da plateia... Já alguém se lembrou de dissecar isto?
- Mesmo que Meyer estivesse a cometer uma barbaridade, 4 polícias não o conseguem controlar sem ter de o alvejar com a Taser? Seria isto mesmo necessário?
- O som da Taser ouve-se e muito bem... Mesmo dando o desconto da proximidade das câmaras, será que se pode mesmo afirmar que no fim daquilo tudo (incluindo os berros de alguém que diz "Stop it!!! Why are you tasing him???", ou os berros de Andrew Meyer que diz "Don't tase me, why are you tasing me?"), não se sabia que tinham sido usadas as Taser?

"Meyer was pulled into the back of the room and the real scuffling began. From the stage, JK couldn’t see what was going on at all (it was a huge room.) So he tried to move things forward, giving the question of voting rights the respect it deserves and trying to answer his question. He had no idea what kind of scuffle was going on, who was doing what to whom, and was as surprised as anyone when the kid started screaming. He had no idea the kid was tasered until later." - este típico, muito típico discurso americano pretende manipular opiniões? Ou será mesmo mesmo verdadeiro e honesto?

A discussão poderia continuar on and on and on... Cá por mim, continuo chocada com o abuso de poder aliado a falsos moralismos e hipocrisias duma sociedade que há muito deixou de ser um exemplo para quem quer que seja... se é que alguma vez o foi...
Tenho pena é da minha sis que tem de lidar com estas e outras palhaçadas diariamente...

Sempre achei o anti-qualquer-coisa, incluindo o anti-americanismo, um exagero contra o qual devemos sempre lutar (não tivesse eu encarnado com todas as minhas forças o papel de politóloga de trazer por casa depois do curso de Relações Internacionais)... Afinal, está mais que provado que os radicalismos não nos levam a bons portos... mas estes senhores conseguem dar cabo da paciência de qualquer um...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial