quinta-feira, setembro 06, 2007

Há dias assim... #29

Por vezes as emoções baralham-se...
Por detrás de um sorriso esconde-se uma lágrima.
Por detrás de um alegre convívio está um olhar triste e vazio.
Por vezes os sentimentos também se confundem...
Ou queremos confundi-los...
Ou queremos que apareçam encapotados... escondidos... disfarçados...
Por vezes o que por cá se passa não se traduz em palavras...
Um olhar mais atento...
Um ouvido mais disponível...
Uma mão mais discreta...
Quem quer reparar, repara! Mas é tão mais fácil deixar seguir. Não levantar poeira, deixa fluir, não perguntar, não incitar, não encorajar...
Por vezes as emoções baralham-se...
Não é hábito fazer-se publicidade. Mas não faria mal que a subtileza da mensagem não se perdesse no ar... Não faria mossa se a poeira levantasse um pouco... Não faria mal que o fluxo não fosse tão aparentemente regular e previsível...
Há dias em que um olhar faria a diferença...
Há dias em que uma palavra criaria alento...
Há dias em que um gesto confortaria mais que o chão sem poeira...
Mas enquanto tudo corre e ninguém tropeça, e a vida avança e não há retrocessos, e todos seguimos em frente e ninguém se sobressalta... enquanto a normalidade se mantém, o descanso permanece... Afinal a poeira assentou e vê-se a linha do horizonte...
Há dias em que remexer na velha mala do sótão pode trazer surpresas agradáveis...
Há dias em que as arrumações fariam todo o sentido e deixariam tudo mais livre e limpo...
E há dias em que a angústia cresce a cada inspirar... em que o rebentar é iminente e aí sim... aí a poeira seria imensa...
Há dias em que apetece deitar tudo para fora para depois arrumar nos sítios certos. Limpar o pó, folhear os livros, descobrir cartas passadas, compor os brinquedos antigos...
Há dias em que apesar da vontade e da energia e da motivação... não está nas nossas mãos e não temos outro remédio senão aceitar. Encafuar para dentro da velha arca onde cabe sempre mais qualquer coisa...
Há dias em que não se vai remexer, porque não... apesar de uma infinda vontade de revolução...
Há dias em que a consciência acorda e apreende os erros... mas nada se remedeia de um dia para o outro...
Há dias em que a impotência cresce perante a vontade de remexer numa arca atafulhada de poeira e outras tralhas...
Há dias em que um olhar bastaria...
Há dias assim...

Etiquetas:

7 Comentários:

Às setembro 07, 2007 10:38 da manhã , Blogger Miguel F. Carvalho disse...

e há dias em que nos inspiramos e escrevemos textos destes... :-)

 
Às setembro 07, 2007 12:05 da tarde , Blogger Ele há horas assim... disse...

De facto, Miki.

Esta menina tem alguns dias assim.
Ela faz-se!!

;)

Beijokas Cat!

 
Às setembro 07, 2007 7:55 da tarde , Anonymous carlos disse...

Já lá dizia o Jean-Paul Sartre: o inferno são os outros.
Por vezes julgo que é o medo de ficar na mesma situação. Como se aquilo se pega-se, como um vírus.
Xicoração e um bom fim-de-semana.

 
Às setembro 07, 2007 8:14 da tarde , Blogger Daniela disse...

catarina,
amei!!
muito bom... já o horas tinha falado em ti e tem toda a razão! ;)
bjs

 
Às setembro 07, 2007 11:52 da tarde , Blogger Catarina em Lx disse...

miguel f. carvalho,
;) Obrigadinhes!!! De facto... há dias em que a malta vomita umas coisas que provocam reacções... Que sejam sempre positivas hehehe

ele há horas assim,
hahaha Não tarda fico convencida e insuportável... Gracias mil!!!

carlos,
quanta sabedoria... uma frase tão curta com tão imenso conteúdo... ;)

daniela,
deixa lá que tu e os teus desabafos e... pior: as tuas fotos... são de cortar a respiração... :))

 
Às setembro 08, 2007 11:59 da tarde , Blogger Daniela disse...

Qual quê!!!
Estou fã!!!
;)
estes textos são mesmos muito bons...
bjs

 
Às setembro 12, 2007 3:04 da tarde , Blogger Vieira Calado disse...

A vida é feita de todas estas coisas: sono e sonhos.
Um bom resto de semana para si.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial