quinta-feira, maio 10, 2007

Pois que morreu... e desta vez foi de vez...

Persegue-me há uns anitos... Ou melhor, persigo-o eu. Ele sempre a fugir e eu sempre a correr atrás dele... The monster é implacável, é incontornável, é decidido, tem presença forte, pauta-me os sonhos de quando em vez e não me deixa respirar fundo e descansar de vez... Pois que morreu!!! E desta vez, foi de vez! E até já peguei nos caixotes de papelada e fiz uma primeira triagem... 1 caixote para o papelão é o primeiro balanço. Claro que o 1º critério não foi o mais objectivo: vai fora tudo o que foi presenteado com as recentes marcações de território do sacana do Baco (e acreditem que o cheiro é nauseabundo), tudo o que são documentos de media com datas anteriores a 2005, tudo o que são fotocópias de má qualidade sem qualquer tipo de intervenção da minha parte... Não consegui colocar dentro deste caixote nada que fosse manuscrito, eu até em word, mas que tenha saído desta linda cabecinha pensante... O monte ficou reduzido, mas não o suficiente... Tenho que ir à 2ª ronda.

Mas fica aqui assumido, não sem uma ponta de dor e frustração, que o monstro morreu. Acabaram-se as tentativas frustradas de endireitar uma porra duma tese que nasceu tortíssima. Acabaram-se os gastos desalmados em propinas, fotocópias, livros, etc, etc, etc. Acabaram-se os fins-de-semana agarrada aos livros, ao PC, à secretária e de rabo quadrado nas cadeiras desta e da outra casa... ACABOU-SE!!!

Odeio desistir do que quer que seja! E a frustração é também por aí... Mas tenho que ser objectiva: fazer a tese por teimosia é parvoíce. Não perceber que as coisas não resultam desta forma é falta de 2 dedinhos de testa. Andar aqui a penar só pelo grau não faz o mínimo sentido... E, convenhamos, a Turquia e a UE, apesar de permanecerem temas apaixonantes aos meus olhos, nada têm a ver com a minha vida profissional. Portanto, e para não me doer asism tanto, não lhe vou chamar uma desistência... É uma alteração estratégica do rumo da formação!!! Sim, que ficar sentadinha no sofá não é para mim e a minha cabeça já tem por aí uns projectos... Muito menos megalómanos, registe-se!!! Sim, que a malta gosta de aprender umas coisas quando bate de frente contra os muros... A cabeça é minha e é a mim que me dói, portanto dispenso bater lá com a cabeça mais vezes, tá???

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial