domingo, outubro 14, 2007

Tenho um problema!!!

... sim, tenho um problema!!! Definido, identificado, diagnosticado.

Finalmente, e ao fim de mais de 7 meses de acumulação constante de funções, entrou uma pessoa para assumir uma parte do trabalho e me aliviar da carga excessiva que tinha desde o fim do ano. Não foram meses fáceis, nem de produtividade e/ou eficiência reconhecidas. Pior: para lá das constantes e crescentes pressão e exigências, o esforço nem sempre foi reconhecido, a uma equipa largamente desfalcada, que lutou no dia-a-dia para que o barco não se afundasse.

A entrada desta pessoa, e o regresso das restantes das suas licenças, férias e afins, foi vista como a luz no fundo do túnel. Não mudaria tudo de um dia para o outro, não passaríamos da noite para o dia a funcionar a 100% e a todo o vapor, até porque as novas entradas têm um período de adaptação e formação, mas a coisa estava no bom caminho.

2 meses e meio depois posso garantir que nunca tive tantos problemas, atritos e questões com uma pessoa com quem trabalho. Pior: somos obrigadas a trabalhar em estreita cooperação. É mandatório que exista confiança, coordenação, comunicação... e nada disto tem existido. Pelo meu lado, tenho dormido de consciência tranquila. Apesar do meu conhecido mau-feitio, muito me tenho trabalhado. Sei que sou uma pessoa bastante exigente e que tenho dias em que devo ser intragável... Mas tenho desenvolvido uma capacidade sobre-humana de controlar a vontade de fazer comentários, cobranças, chamadas de atenção. Normalmente pego nas coisas e faço-as eu para que ninguém fique melindrado.

Mas começam a cobrar-me o trabalho que devo desenvolver (a médio/longo prazo) e que não estou a fazer... Não estou a apresentar resultados. Resumindo: continuo a ser a bombeira que apaga os fogos, ao invés de realmente me concentrar no trabalho para o qual sou remunerada e que se traduz em números no fim dos prazos... Estou farta que me chamem a atenção, estou farta de levar na cabeça... com toda a razão... Eu estou a falhar naquilo que é o meu trabalho e não durmo bem com isso...

Mas o que não está a ser assegurado pela outra pessoa não pode cair... é trabalho complementar ao meu e de outros colegas e se não estiver assegurado, também não vale a pena eu desenvolver as minhas acções... Portanto, se não está feito ou não está bem feito... alguém tem que se chegar à frente... Ora, quem é a bombeira lá do sítio que passa a vida a apagar fogos???

Já por 3 vezes precisei de uma ajuda rápida e momentânea, e vejo-a ser-me negada de formas inaceitáveis... Vai daí, eu apago o fogo a pontapé, porque não me ajudam a ir buscar água...

Arrogância, intolerância, vitimização, falta de educação, inconveniência... e eu não queria dizer isto, mas chego a um ponto que sou obrigada: total e cabal incompetência!!! Falta de responsabilidade... Incoerência... Enfim, podia continuar...

Mas o pior aconteceu esta semana: estamos na fase crítica do ano e isso é falado em cada secretária, em cada corredor, em cada cafezinho que bebemos com os colegas... Na reunião da passada 2ª-feira, chamaram a peça à sala para lhe pedir um esforço e uma atenção especial nesta fase, e para garantir que nada falhava...

A questão ficou enquadrada. Os eventuais problemas diagnosticados. Os procedimentos definidos e os planos de contingência desenhados... Não havia por onde falhar. Era apenas uma questão de assumir as funções de cada um e não deixar cair os assuntos. Confesso que tenho andado a sonhar com encomendas todas as noites da semana... ou seja, a sonhar com o trabalho que não é meu... Não andava descansada. Mas tinha prometido a mim mesma que não me ia meter mais. As responsabilidades e tarefas estão divididas e está tudo definido por escrito. Cada pessoa da equipa sabe perfeitamente o que tem de fazer... Aliás, como tenho sentido que algumas pessoas olham para a nossa "relação" e vêem implicância da minha parte, mau-feitio, etc... prometi a mim mesma q n faria mais comentários, não chamaria mais a atenção, não iria apanhar os assuntos a meio da queda... Quem quisesse ver, veria, ou então provar-se-ia que era de facto implicância minha...

Mas na 6ª-feira, necessitei de verificar uma encomenda para a registar numa aplicação e tive que ir mexer nas pastas das ditas, que estão à responsabilidade da dita pessoa... Qual não é o meu espanto quando me deparo com uma situação dramática para o cliente e os comerciais da conta... O cliente que tem projectos pendentes e deveria estar a receber as máquinas... os comerciais que são medidos por resultados e ficam desfalcados se as encomendas não são processadas. A situação é grave!!! Gravíssima!!! Situações catastróficas... Fiquei a trabalhar até depois das 23h a tentar perceber o que raio se tinha passado e a verificar uma série de encomendas pendentes. Quando acabei estava em estado de choque.

Não consigo entender!!! Não percebo!!! Nunca na minha vida tinha lidado tão de perto com tanta incompetência e irresponsabilidade... Não sei trabalhar assim. Sei que sou bastante exigente com as pessoas que trabalham comigo e que não sou uma pessoa fácil... Tenho dias... Mas isto parece-me demais...

Mas o que me deixa ainda mais frustrada é que sou eu que passo o fim-de-semana a sonhar com isto, enquanto sua exa. saiu na 6ª-feira às 18h03 (parecia que estava à espera da hora para desligar o PC...) e passa um fds descansada...

Devia deixar cair, para que as restantes pessoas da equipa percebessem... Mas não consigo... Afinal quem dá a cara aos clientes sou eu... Além de que os outros não têm culpa que a equipa não funcione...

Sinto-me profundamente frustrada e não consigo deixar de assumir os problemas enquanto parte da organização... O meu trabalho está feito, a minha parte está garantida. Não sou eu que estou a falhar, mas sou eu que me sinto... E o que é pior é que já sei que na 2ª-feira logo de manhã quando se der conta do problema, lá vou eu vestir o macacão e apagar o fogo... mais uma vez... Lá vou eu prejudicar o meu trabalho, as minhas funções, as minhas métricas, os meus resultados, para resolver os problemas que a incompetência alheia cria...

Estou a desenvolver um sentimento de profunda rejeição para com esta pessoa. Já me chamou de mentirosa, dizendo que eu tinha dito e feito uma coisa, quando eu tenho provas de que agi em sentido contrário... Diz alto e bom som que eu não lhe expliquei os processos quando passei um manual informal para as mãos depois de ter explicado tudo... Já desatou aos berros comigo demasiadas vezes para o meu gosto. Passa a vida a dizer "a culpa não é minha", quando a única coisa que lhe peço é para falar com fulano e sicrano para resolver as questões. Não me interessa de quem é a culpa, desde que se resolva... Caguei pá culpa. Quero ultrapassar os contratempos. Ignora mails e assuntos pendentes. Nega que lhe tenha passado os assuntos e apaga os respectivos mails... E ainda me desafia a torto e a direito... ou pelo menos assim parece. Tem conversas ao telefone surreais e em tom provocatório em alturas e situações inacreditáveis... Ahhh!!! Além de que passa o dia agarrada ao telefone a falar sei lá com quem... Eu tb já acho que estou toldada de raiva e que já vejo coisas a mais... Enfim... não sei... não sei como vai ser, nem sei sequer se aguento isto por muito mais tempo... Só sei que ando com dores de cabeça, que não durmo decentemente, que tenho vergonha das respostas que estou a dar aos clientes... e que ando preocupada... muito preocupada com a enorme possibilidade de isto se poder vir a traduzir em perdas de clientes... quando é deles que vivemos...

9 Comentários:

Às outubro 14, 2007 12:40 da tarde , Blogger Nuno Medon disse...

olá! fizeste bem em desabafar aqui! é muito chato trabalhar quando há uma ou vária pessoas que não estão a remar para o mesmo barco. devias expor essa situação aos teus colegas, aqueles que se dão bem contigo, para eles saberem o que se passa. e talvez te fizesse bem desabafar com algum colega com quem te dês melhor. beijos e tenta ter a continuação de um bom Domingo! beijos

 
Às outubro 14, 2007 2:46 da tarde , Blogger Miguel F. Carvalho disse...

não vale a pena acumular situações desse tipo... mais vale comunicar ao patamar superior... se numa empresa remam todos (supostamente) para o mesmo lado, então terá de haver um diálogo franco e aberto antes que a situação se torne insustentável, não só para as pessoas, mas para a própria empresa...

mais na brincadeira, quando dizes "lá vou eu vestir o macacão"... isso não pode ficar reproduzido em fotos? lol lol

 
Às outubro 14, 2007 8:04 da tarde , Blogger Kikas disse...

Catarina é um nome que parece ter estes sitomas associados... eu também já passei por isso ao ponto de o Director de RH me chamar de incompetente e má-profissional e por pouco não ter ido parar ao olho da rua graças ao acto misericordioso de me encontrar um lugar na loja, onde pouco ou nada iria incomodar quem incomodei por dizer a verdade (mas essa é uma outra LONGA história e que será o ponto principal de ter sido considerada má-profissional... adiante).

Infelizmente o velho ditado "Mais vale cair em graça do que ser engraçado" é real e aplica-se em muitos locais de trabalho...

 
Às outubro 14, 2007 10:14 da tarde , Blogger Daniela disse...

Catarina,
Momento Zen amiga... Momento Zem... hummmmm... respirar fundo, 1, 2, 3...

 
Às outubro 15, 2007 10:21 da manhã , Blogger Ele há horas assim... disse...

Cat,

Compreendo perfeitamente o que estás a sentir, uma vez que isso já se passou comigo numa determinada fase. E tinha exactamente as mesma preocupações que tu...os clientes não têm culpa nenhuma, tu é que dás a cara (ou a voz, neste caso), e os outros (os que nós chamamos incompetentes...e com toda a razão) estão-se a marimbar completamete se o trabalho está feito, se está bem feito ou se nem sequer foi feito. Saem à hora certa (exactamente como tu dizes...parece que estão à espera da hora para sair) e não querem saber de mais nada.
E o mais irónico?`Era a mim que vinham pedir para "apagar o fogo", tal e qual como acontece contigo!

Até um dia, em que me fartei, e fiz exactamente o que o Miguel relatou. Apresentei o caso às mais altas instâncias da empresa e, deixei o caso nas mãos deles. Ele que tomem medidas...

Entretanto, decidiram-me mudar de departamento (foi como que uma promoção), e deixaram a tal senhora com a "criança nos braços". Que remédio teve ela senão resolver os pendentes que ela mesmo tinha deixado...
Engraçado...a partir daí, ela nunca mais conseguiu sair a horas, como fazia antes...

Não deixes que o trabalho do outro (ou da outra) te tirem horas de sono. Apresentas a questão às chefias e eles que tomem determinadas posições. O argumento que apresentas da empresa estar a correr o risco de perder clientes importantes é um trunfo a teu favor...

Força!

Beijinho grande!!

 
Às outubro 16, 2007 5:03 da tarde , Anonymous carlos disse...

Rapariga, é preciso "pôr tudo em pratos limpos". Com essa pessoa e com os outros. Estar a tua saúde e a própria empresa onde trabalhas a serem prejudicados por esta situação não é aceitavel.
Xicoração.

 
Às outubro 16, 2007 9:51 da tarde , Blogger Branca disse...

Deita cá para fora e força porque há-de resolver-se.
Deve ser terrível trabalhar assim.
Beijinhos e garra para vencer essa batalha!

 
Às outubro 16, 2007 11:05 da tarde , Blogger Catarina em Lx disse...

Caríssimos,

Obrigada a todos, TODOS!!! As coisas começam a tomar forma. E nem sequer foi preciso ir fazer queixinhas... A questão assumiu contornos tão graves que subiu por aí acima sem que fosse necessário mexer-me... O pior é que eu até fui falando, mas a determinada altura as minhas "queixas" estavam a ser encaradas como intransigência...

 
Às outubro 17, 2007 9:52 da manhã , Blogger Ana disse...

Minha linda, mais uma vez te deixo uma beijinho munta grande e força, sei perfeitamente o que dizes até porque a organização não me é totalmente desconhecida, deixa as coisas agoram correrem o seu rumo normal, mas se vires que o assunto "morreu", escala! Eu faria isso, como já fiz e sei que deu resultado. Sabes que podes contar comigo, não estou aí mas posso servir de testemunha...eheehehehe..... Beijão!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial